Psicologia

Psicologia

No caso do paciente obeso, a psicologia visa identificar quais estímulos, fora a fome, levam-no a comer indevidamente. Ansiedade? Depressão? Estresse? Problemas afetivos? São abordadas uma série de variáveis que não são objeto da medicina e da nutrição. Como está sua imagem corporal? E a autoestima? Ele tem um ganho secundário permanecendo gordo? Quer e não quer emagrecer ao mesmo tempo? Sabe o que fazer, mas não consegue fazer aquilo que sabe que deveria? Autossabota-se? Tem algum transtorno alimentar, como compulsão, transtorno do comer noturno, bulimia?

Segundo pesquisas e minha própria experiência clínica, a terapia comportamental e cognitiva é a mais indicada para o tratamento da ansiedade e da compulsão. A duração do tratamento é altamente variável e depende de diversos fatores: duração do problema, experiências anteriores, idade, histórico de vida, presença ou não de outros transtornos. O acompanhamento psicológico muitas vezes é essencial também durante a fase de manutenção do novo peso, bem como da ressocialização do paciente obeso, necessária em alguns casos.